HOUSTON, WE HAVE A PROBLEM

Não me agrada a ideia de catalogar pessoas.
Houve uma época em que de fato rotulávamos homens como sendo machistas e mulheres como sendo todas frágeis.Descobriu-se com o tempo que, nem todos os homens são machistas e  que a maioria das mulheres de frágil não tem nada. Descobriu-se também que as pessoas não devem ser enquadradas em categorias, gêneros, escolha sexual, cor, classe social, ou seja, sem generalismos, haja visto que somos indivíduos com características próprias e únicas.
Ainda bem.
Mas vira e mexe aparece alguém com resquícios de idade média para atormentar nosso sono. Se esse povo remexesse nas catacumbas e fosse embora, ótimo. Cada um com a sua loucura. Mas eles adoram uma publicidade e pior, tem blogs.
Já escrevi aqui sobre um post que li falando sobre “Mulheres pra casar e mulheres pra levar pra cama”, e como a autora dessa preciosidade também dava dicas para ser levada a sério pelo pretendente. Entre as dicas: usar hidratante nas pernas, sorrir para os amigos dele e ser simpática, comprar presente pra futura sogra bem baratinho pra não parecer metida a rica, não dizer de jeito nenhum que está apaixonada para não parecer fácil e outras pérolas.
Bizarro?
Mais bizarro é ter 18 comentários apoiando a dita cuja e acrescentando outras tantas preciosidades como “use uma calcinha bem velha pra não correr o risco de transar no primeiro encontro. Homem não casa com mulher que vai pra cama no primeiro encontro”.
Porque cargas d’água estou tocando nesse assunto esdrúxulo? Porque recebi um e-mail bem longo de uma anônima – o que também é bizarro já que todo mundo tem um nome e se não tiver, invente oras – falando que  os homens não escolhem mulheres para casar que tenham opinião própria, que gostem de sexo, que sejam independentes, etc. Desculpem, mas me recuso a reproduzir tanta bobagem.
Eu não sei que homens são referência pra essa pessoa, mas certamente não são os que conheço.
Os homens que eu conheço, veja bem, falo de homens e não de meninos, admiram ter ao seu lado uma mulher que se lambuze de hidratante, visite salões de beleza, façam coleção de Vogue e esmaltes, sempre acham que não tem nada pra vestir ou calçar apesar do armário dizer exatamente o contrário, se mostrem choronas em filmes de Woody Allen e comerciais de margarina, quebram tudo em dias de TPM e ainda assim acordam cedo pra trabalhar, cuidam dos filhos e sofrem muito por sempre achar que podiam cuidar muito melhor, discutem futebol como legítimas comentaristas de mesas esportivas, adoram Freud e toda psicanálise, pedem colo mas também oferecem um sem a menor parcimônia a quem precisar, se decidir que está a fim de sexo toma a iniciativa e preza pelo seu corpo e seu prazer.
Resumindo: homens e mulheres tem dualidades e é exatamente isso o que torna tão atraente os envolvimentos.
Gente medíocre existe em todo canto, não é privilégio de homens ou mulheres.
Portanto, está mais do que na hora de prezar pelas pessoas que entenderam isso e ter piedade com os demais mortais que ainda permeiam as trevas.
Não publique besteiras, não seja conivente com o ridículo.
Que me perdoe os idiotas, mas inteligência é fundamental.

Imagens: Reprodução http://ilovewildfox.com

Anúncios

Uma opinião sobre “HOUSTON, WE HAVE A PROBLEM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s